Denúncia

URGENTE! Helder Barbalho interfere na investigação e retira delegado do caso Alter do Chão

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), divulgou no início da tarde desta quinta (28) que determinou o afastamento do delegado que esteve a frente das investigações da operação “Fogo Sairé”, que culminou com prisão quatro brigadistas acusados de colocarem fogo na floresta ao redor de Alter do Chão e em busca e apreensão nas ONGs Saúde e Alegria e Aquífero Alter do Chão, acusadas de receberem dinheiro para os brigadistas.

Nas redes sociais, Helder Barbalho disse que o diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire, estará à frente das investigações.

Na terça (26), quando aconteceu a operação Fogo Sairé, o governo do Pará havia divulgado nota afirmando que não interfere em investigações da Polícia Civil e que defende sua autonomia. Veja a nota:

Sobre a prisão de integrantes da Brigada de Incêndio de Alter do Chão (Santarém) pela Polícia Civil, nesta terça-feira (26), o Governo do Estado do Pará esclarece que NÃO interfere em investigações da Polícia Civil, que é autônoma.

Também é necessário ressaltar que a Polícia Civil do Pará NÃO tem o poder de efetuar prisões sem a devida autorização judicial.

O Governo do Pará afirma, também, que não há nenhuma predisposição contra qualquer segmento social. É importante frisar que a Polícia Civil do Pará investigou e prendeu fazendeiros, no último dia 29 de agosto, sob a acusação de envolvimento em episódio criminoso no sudoeste paraense.

Por fim, o Governo do Pará reitera que as ONGs são fundamentais para a preservação das florestas no Estado, e que o Executivo continua parceiro de todas as instituições e entidades que respeitam as leis brasileiras.

A própria investigação policial ressalta que este é um episódio isolado, que não desabona a conduta de centenas de ONGs que trabalham em conjunto com o Governo do Pará.

Ontem a justiça do Pará manteve a prisão preventiva dos quatro acusados e deu 10 dias para a Polícia Civil do Pará concluir o inquérito investiga a suspeita de ação ilegal de membros da brigada de incêndio de Alter do Chão e três organizações não-governamentais.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar