Pets

Uber testa opção para levar pets nos EUA

Uma das desvantagens de ter um pet e não ter um carro é que sair com ele para distâncias mais longas depende da disposição de alguém que deixe o cachorro ou gato entrar em seu carro. A Uber sabe que isso é complicado e está retomando o teste do Uber Pet para facilitar esse processo para todas as partes envolvidas.

Os motoristas da Uber são considerados contratados independentes que trabalham com seus próprios veículos e, no final das contas, é o espaço de serviço dessas pessoas. Justamente por isso, uma corrida com pet pode dar dores de cabeça tanto para quem transportar o animal de estimação quanto para o motorista.

A companhia anunciou que irá testar a partir desta semana uma opção para pets nos Estados Unidos. A iniciativa é semelhante a que já foi testada em diversos países da Ásia e da América Latina, incluindo o Brasil.

Por aqui, essa opção começou a aparecer no app em 2015, mas em 2016 o serviço foi encerrado. Segundo a Uber, “todos os serviços são pet friendly — ou seja, bichos podem ser aceitos pelos motoristas parceiros”. A recomendação da companhia é que, antes de entrar no carro, o usuário avise o motorista sobre o bicho de estimação.

Com o Uber Pet, por sua vez, não é preciso ficar procurando um motorista que se sinta confortável de levar o seu animal. É só selecionar a opção que o aplicativo vai identificar os motoristas que aceitam transportá-los. Isso tem um preço: os usuários irão pagar entre US$ 3 e US$ 5 adicionais.

A opção está em testes nas cidades de Austin, Denver, Nashville, Minneapolis-St. Paul, Filadélfia, Phoenix e Tampa Bay. Nesses locais, os motoristas da Uber terão a oportunidade de optar por não transportar passageiros que estejam levando um animal.

No entanto, os motoristas que decidirem fazer parte do programa vão ficar com um “valor significativo” da taxa adicional. Pelo menos é o que diz o porta-voz da Uber, que não revelou a porcentagem exata e disse apenas que seria um número “próximo à maioria” das sobretaxas já cobradas a cada viagem. Basicamente, a Uber ainda vai lucrar com a nova cobrança.

Questionamos se os motoristas irão arcar com os custos de danos que podem acontecer no veículo enquanto transportam animais de estimação e a Uber disse que eles terão a opção de cobrar dos passageiros para cobrir eventuais estragos, conforme as diretrizes da comunidade da empresa.

Foto: Emily Lipstein/Gizmodo

O sistema convencional pode ser controverso para os motoristas que não querem aceitar corridas com animais de estimação, já que a Uber registra uma taxa de conclusão, que leva em consideração quantos pedidos foram aceitos ou cancelados.

O porta-voz da Uber disse que, nesse sistema, a avaliação dos cancelamentos é feita caso a caso, embora tenha recusado a especificar o limite de cancelamento que os motoristas devem cumprir para não ficarem na “geladeira”.

Ainda de acordo com o porta-voz, os motoristas que optarem por oferecer o Uber Pet não serão penalizados se recusarem corridas com animais de estimação que não podem ser acomodados em seus carros, caso sejam grandes demais, por exemplo.

O recurso pode ajudar os passageiros a se conectarem com motoristas que estejam dispostos a transportar animais de estimação e, ao mesmo tempo, evitar o inconveniente de ter que ficar procurando corridas até que alguém aceite levar o pet.

No final das contas, cabe ao passageiro não ser mal educado – o mínimo é assegurar que seu bicho de estimação não faça uma bagunça no carro do motorista.

Fonte: Gizmodo

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar