Denúncia

Superintendente do IPHAN é indicação de Jader e filha de funcionária da RBA

Desde que iniciou-se esse imbroglio acerca da construção de uma estrutura de metal realizada pelo restaurante Casa de Saulo, que supostamente descaracterizaria toda a estrutura histórica da Casa das Onze Janelas, os olhos têm se voltado para a superintendente do IPHAN que autorizou a polêmica obra, Rebeca Ferreira.

Logo após o ParaWebNews ter feito a denúncia do que, veio a se chamar “puxadinho das onze janelas”, o IPHAN, apesar de não ter publicado oficialmente em sua Página, encaminhou nota ao blogueiro Marcelo Bacana, alinhado aos barbalhos.

Na nota o IPHAN tentou explicar de forma claudicante as razões de sua autorização. Explicou, todavia não convenceu ninguém, até porque segundo a Prefeitura Municipal de Belém, a obra iniciou-se sem a devida licença municipal.

Em outra matéria o ParaWebNews observou que, embora com mestrado, a experiência técnica de Rebeca é ainda bastante parca, sendo o cargo de superintendente praticamente seu primeiro emprego na área, após formada.

O Laboratório de Democracia Urbana “Cidade Velha – Cidade Viva” também questionou a competência e a experiência de Rebeca para um cargo tão importante:

” Nada fala sobre ‘patrimonio’, nem sobre ‘direito’, tão necessários para cuidar dos argumentos tratados pelo IPHAN, mas, com certeza, deve ter conhecimentos a respeito, senão, por que nomea-la? A falta de experiência poderia aumentar os problemas ja existentes.” (veja aqui).

Além da parca experiência, este portal também revelou em primeira mão, que fontes haviam informado, que Rebeca seria um indicação do senador Jader Barbalho ao Ministro Lorenzoni, uma vez que o IPHAN é órgão federal. 

Pois bem, não só a superintendente é indicação de Jader como filha de uma ex-funcionária da RBA, Cristina Ferreira, e correligionária de todo clã dos barbalhos desde o tempo que se amarrava cachorro com linguiça.

A bem da verdade, quando se conhece as redes sócias da mãe da moça, não se sabe se está no perfil dela ou de alguém da família barbalho de tantas fotos e homenagens a helder e jader.

Veja aqui o perfil Cristina Ferreira

Se ainda houver dúvidas do vínculo com os barbalhos, basta ver como a indicação da moça para o cargo de superintendente do IPHAN foi festejada pela mídia barbalhista, ou seja, Repórter Diário, Mauro Bonna e Marcelo Bacana. Interessante que não saiu publicado em nenhum outro lugar.

Vá lá, se não haveria um problema tão sério assim na falta de experiência da moça, que só tem apenas 4 anos de formada, o apadrinhamento e o fisiologismo político se revelam, todavia, preocupantes. As decisões benevolentes ao governo Helder e demasiadamente restritivas a seus adversários demonstram, infelizmente, que a memória do patrimônio histórico cultural do Pará é o ponto que menos importa nesta queda de braços.

Tanto é assim, que Rebeca Ferreira Ribeiro, em 2018, quando o titular da SECULT era Paulo Chaves, comemorou a não aprovação de uma cobertura metálica sobre o Bar do Parque. “Notícia boa!!! Mais respeito como nosso patrimônio”, disse a moça.

Um ano se passou, e Rebeca assumiu a superintendência do IPHAN. A partir daí seu pensamento parece ter mudado da água para o vinho. Passou a não ver mais problemas em se construir uma estrutura metálica, por exemplo, na Casa das Onze Janelas que desfigurasse por completo a identidade histórica.

Por último, para não sermos acusados intransigentes, basta perguntar à Rebeca o que a fez mudar de pensamento tão rápido assim….só não vale esta recorrer à suscetibilidade da juventude.

Vejam as fotos do perfil, caso a conta seja excluída.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar