Opinião

Polícia Federal no rastro de Helder Barbalho: o fato e a versão

Artigo: Ronaldo Brasiliense

O governador Helder Barbalho (MDB) saiu de seu castelo de sonhos, em suas douradas férias no exterior, para escrever em seu twitter que não tem nada a ver com a operação da Polícia Federal que o assombrou hoje, 09 de janeiro, no Pará, prendendo seu suposto “homem da mala” – o ex-senador Luiz Otávio Campos, o popular Pepeca, eleito pelo PP com o apoio do ex-governador, o saudoso Almir Gabriel.

Quem se deu ao trabalho de ler a decisão judicial que determinou a Operação de busca e apreensão e as prisões temporárias de gente atolada até o pescoço no pagamento de propinas para a campanha eleitoral de Helder Barbalho ao governo do Pará em 2014, quando o filhote do senador Jader Barbalho levou peia sabe que Helder é o personagem principal da trama.

Foi para a campanha de Helder que a Odebecht Ambiental liberou R$ 1.500.000,00 de Caixa Dois, em três parcelas de R$ 500 mil, num episódio delatado pelos executivos Fernando Reis e Mario Amaro da Silveira, da Odebrecht, num encontro em hotel de luxo, em São Paulo, que teve a participação do então prefeito de Marabá, João Salame, e do então candidato ao Senado, o hoje senador da República Paulo Rocha.

Tentar desqualificar a operação de hoje no Pará, Tocantins e Distrito Federal, afirmando que não faz parte da Lava Jato, como fez hoje o Diário on Line (DOL) é uma fantasia, buscar tapar a luz do Sol com uma peneira.

Luiz Otávio Campos já está solto, mas brevemente voltará a ser personagem de outra operação da Polícia Federal, a que há anos investiga o pagamento de R$ 150.000.000,00 para politicos do PT e PMDB feito pelas empreiteiras que construíram a usina de Belo Monte, no Rio Xingu.

Perto da propina de Belo Monte, a propina paga pela Odebecht para a campanha de Helder Barbalho em 2014 é gorjeta de botequim.

Anotem, para conferir.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar