DestaqueOpinião

Pioneiro e o gato de Schrodinger

Na física quântica chama-se ‘gato de schrodinger’ a experiência hipotética em que um gato é colocado em uma caixa com pólvora com 50 % de chances de explodir e vir a morrer. Até que olhemos dentro da caixa não sabemos se o gato está, de fato, vivo ou morto. É a nossa observação ao abrir a caixa que matará ou não o gato. A interpretação da mecânica quântica é que antes que olhemos o interior da caixa, o gato está em uma superposição, está vivo e ao mesmo tempo morto.


Pois bem, é exatamente assim, como no experimento, que parece estar Pioneiro, vivo e ao mesmo tempo morto.


Pode parecer cedo para decretar a morte política de alguém, acontece que o ano vai terminando, os blocos vão se sedimentando e, eu pergunto, onde está inserido Pioneiro neste contexto? Quem é Pioneiro na fila do pão?


Algum desavisado poderia argumentar que ele irá apoiar Dr. Daniel para prefeito de Ananindeua e que Daniel tem grandes chances de sair vencedor. E daí? Faria alguma diferença se não apoiasse ? O apoio de Pioneiro, a esta altura, faz diferença para alguém nas eleições de 2020? A pergunta é meramente retórica, tá!!?
Nem vivo e nem completamente morto, Pioneiro se arrasta sem forças e sem rumo, como um leão sem dentes largado na savana atrapalhando a caçada dos verdadeiros predadores. Carta fora do baralho. Como jogador que assiste a partida no banco.


Mas não foi sempre assim. Houve um tempo em que Pioneiro sonhava chegar ao Palácio dos Despachos e ser o band leader tucano. Isto aconteceu na época em que o Prefeito de Ananindeua viu Jatene quase ser derrotado logo no primeiro turno da campanha ao Governo do Estado e pensou “eu posso fazer melhor”.

Conversou com lideranças, reuniu apoiadores e todo seu capital político acreditando que seria a bola da vez. Infelizmente a trajetória por todos os cargos públicos pelos quais passou ao longo desses anos não lhe ensinou que na política não há lugar para “questiúnculas pessoais”.

Frustrado por não ter sido escolhido pelo então governador Jatene para encabeçar a chapa, achou por bem partir para vendeta pessoal e ignóbil, e abrir os flancos para o, até então, seu adversário histórico, Helder Barbalho.

De fato, se Pioneiro não tivesse aberto as pernas talvez a história poderia ter sido diferente.

Mas eu pergunto, quais foram os reais ganhos políticos que teve após ter se curvado aos Barbalhos? Quais suas doze moedas? Será que Helder irá apoiá-lo em uma futura candidatura, quem sabe ao senado? A resposta é intuitiva : claro que não. Afinal já dizia a letra da música “bola dividida”do Luiz Ayrão, ” Se ela fez com outro vai fazer comigo”.

Por outro lado, que futuro tem Pioneiro em seu próprio partido, o PSDB? Aqui suas chances são ainda menores

Nem vivo e nem morto.

Pioneiro vai desfiando de noite o pouco que havia tecido durante o dia, tal qual uma teia de Penélope.

E o que é pior, vai deixando um triste legado político para as futuras gerações. Depois de 14 anos no poder, deixa uma Ananindeua com apenas 0,75 % com cobertura de esgotos na qual, apenas 29% da população tem acesso à água tratada.

A saúde consegue ainda ser pior, nas mãos dos 3 patetas: Daniel, Gustavo e Erick, o população sofre sem o atendimento médico das UPAs prometidas.

Com a pecha de traidor e a fama de gestor inepto, Pioneiro vai findando os seus dias, decadente, se arrastando como um moribundo preso a aparelhos. Só sabemos que está vivo porque ainda respira.


Etiquetas

Eduardo Cunha

Eduardo Cunha é o editor chefe do ParaWebNews. É Advogado (UFPA) com especialização em ciências criminais, músico, social media, blogueiro e jornalista, acumulando anos de experiência dos bastidores da política no Estado do Pará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar