Regional

Guerra no governo Helder: secretarias comandada pelo PT e por Eder Mauro entram em conflito

De acordo com o blog da jornalista Franssinete Florenzano, duas secretarias do governo Helder Barbalho entraram em conflito após serem convocadas a buscarem solução para o acolhimento das “meninas balseiras”, meninas que são exploradas sexualmente nas balsas que fazem o transporte de carga entre Belém e Manaus, na região da Ilha do Marajó.

As duas secretarias em questão são Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda ( Seaster ) e a Secretaria de Estado de Justiça. Essas secretarias de estado são controladas por grupos políticos e ideológicos antagônicos.

A Seaster é cota do PT e seu atual titular é Inocêncio Gasparim, ligado ao deputado federal Beto Faro (PT). Durante os governo de Lula e Dilma, Gasparim ocupou importantes cargos na SUDAM, INCRA, Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA) entre outros.

Já a Secretaria de Justiça é cota do deputado federal Eder Mauro (PSD) que controla também o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. O titular da secretaria é Rogério Barra, filho de Éder Mauro.

A denuncia foi feita pela pajé Edna Matinta Marajoara, ativista social diretora do Departamento de Povos Indígenas e Povos e Comunidades Tradicionais no Instituto Ecovida, uma ONG que trabalha com ações que promovam o desenvolvimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A pajé solicitou um entreposto da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda para realizar a intermediação da venda de produtos vendidos pelos ribeirinhos, de modo a evitar que as crianças e adolescentes sejam expostas aos abusadores nas balsas.

Porém, na reunião com as duas secretarias em questão, a ativista Edna Matinta Marajoara teve que assistir uma verdadeira guerra entre os representantes das duas secretarias de governo. Segundo ela, a sensação vendo a cena fatídica e lastimável a fazia pensar que nem parecia pertencer ao mesmo governo.

Edna Matinta Marajoara afirmou ao blog de Franssinete Florenzano que vai participar de um evento da ONU em Genebra e vai denunciar o caso.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar