Política

Glenn critica inquérito dos brigadistas; provas baseadas apenas em grampos telefônicos

Poderia ser uma manchete do “Sensacionalista”, mas não é. O site The Intercept publicou uma matéria em que chama o inquérito realizado pela polícia civil do Pará de “lixo”

Para o site de Glenn “O inquérito parece destinado à lata do lixo”. Segundo eles o peça não traz nenhuma prova contundente que autorizasse a prisão dos brigadistas acusados de atearem fogo em áreas de proteção ambiental.

A peça parece apenas um ato de ficção com destino certo: movimentar as turbas pró-Bolsonaro nas redes, incendiadas por personagens irresponsáveis como a deputada Carla Zambelli e o próprio presidente da República.” afirma o site.

Em outro trecho, curiosamente o Intercept critica a conclusão da polícia baseada em um grampo telefônico ” a polícia se baseia num grampo telefônico para afirmar que dois dos presos, João Victor Pereira Romano e Gustavo de Almeida Fernandes, ‘se declararam, peremptoriamente, os responsáveis pela vasta queimada ocorrida em Alter do Chão, não restando dúvidas serem os prováveis autores do fato criminoso’“.

Por último, o site de Glenn critica a ordem judicial que autorizou as escutas telefônicas dos quatro voluntários da ONG fundamentada em fatos como “os integrantes da Brigada [Alter do Chão] serem os primeiros a chegar ao local das queimadas

E conclui “Parece inacreditável, mas isso foi suficiente para a justiça autorizar grampos em telefones dos brigadistas e ambientalistas”

É sempre bom lembrar que o site The Intercept tem feito uma série de denúncias a membros da força tarefa da Lava Jato baseadas em mensagens de aplicativos obtidas por meio ilegal, ou seja, de telefones celulares hackeados por uma quadrilha presa pela polícia federal na operação Spoofing.

Etiquetas

Um Comentário

  1. É piada isso???
    Et vos Verdefalso (já que os diálogos são falsos).
    Não há o que comentar, o futriqueiro receptador de material roubado e falsificado querendo dar palpite?
    Senso de ridículo é coisa ue esquerdista não tem mesmo.
    Recolha-se a tua insignificância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar