Regional

Estudante de Belém disputa semifinal da Olimpíada de Língua Portuguesa em São Paulo

Ana Clara Silva Lopes, de 15 anos, a comunicativa estudante do 8° ano, da Escola Municipal Donatila Santana Lopes, do distrito de Mosqueiro, e o professor de Língua Portuguesa da escola, José Guilherme Valente Maia, viajaram na tarde desta terça-feira, 22, para participar da semifinal da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, em São Paulo (SP). A escola mosqueirense teve 120 alunos participando da primeira fase da Olimpíada.

A partir do tema “O Lugar Onde Vivo”, proposto pelo concurso de redação que incentiva os alunos a estreitar laços com a comunidade e desenvolver a sua cidadania, a estudante escreveu a crônica “Minhas Manhãs”, na qual relata, de forma bem humorada, um pouco do seu cotidiano de acordar cedo todos os dias para comprar pão contra sua vontade. Mas que durante o caminho à padaria, ela vai se encantado com a natureza e descobre que não é tão ruim, assim, acordar cedo.

Redação – “Estou me sentindo muito feliz. Não imaginei que o meu texto chegaria tão longe. Minha mãe está contanto para todo mundo que vou pra São Paulo e a minha escola fez uma festa para comemorar. Está sendo muito legal poder representar a minha escola e Mosqueiro dessa maneira”, conta Ana Clara, que, apesar de ter se dedicado bastante, ficou surpresa de estar entre as 125 melhores redações do Brasil.

O professor José Guilherme explica que o gênero textual crônica vem sendo trabalhado com os estudantes, desde o início do ano, quando surgiu a oportunidade de participar na Olimpíada. Para intensificar a preparação dos alunos, a escola organizou um horário específico para trabalhar textos de Luis Fernando Veríssimo, Fernando Sabino entre outros escritores.

“Tivemos muitos textos bons, mas o da Ana Clara sempre se destacou e fomos passando as etapas escolar, municipal e estadual, até chegar agora à regional. Isso gerou uma expectativa muito positiva pelos corretores da escola”, conta o professor que, assim como a sua aluna, participa pela primeira vez da Olimpíada, e está muito feliz e apreensivo, mas também confiante por ter trabalhado muito até este momento.

Formação – Em São Paulo, Ana Clara e o professor participarão de três dias de formação, com palestras e passeios culturais, visando ampliar o repertório e as habilidades de leitura, escrita e interpretação, para depois fazerem a prova de redação da semifinal. O retorno a Belém será no dia 26 de outubro.

Durante o embarque no Aeroporto Internacional de Belém, Ana Clara afirmou que pretende cursar Letras – Língua Portuguesa. “A leitura e a escrita já faziam parte da minha vida, e com essa preparação para a Olimpíada, me dediquei a ler mais. Me apaixonei pela crônica, gostei do ‘Viajante de Primeiro Voo’, de Luís Fernando Veríssimo”, concluiu a aluna, satisfeita.

Homenagem – Na segunda-feira, 21, a escola Donatila Santana Lopes promoveu uma pequena homenagem ao professor e à aluna para desejar boa viagem e boa sorte.

“Estamos todos muitos felizes. Desde o ano passado, estamos trabalhando a identidade, valores e diretos. E quando temos um professor como o Guilherme, que incentiva os alunos, e uma aluna como a Ana Clara, que acredita no seu potencial, para a escola é um orgulho, porque a escola acredita no seu aluno. A viagem já é um prêmio. Eles já são vencedores”, comenta a diretora da escola, Marciana Guimarães.

Olimpíada – Na 6ª edição, a Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é um concurso de produção de textos para alunos de escolas públicas de todo o País, do 5° ano do Ensino Fundamental ao 3° ano do Ensino Médio. O concurso é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social, com a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Em 2019, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), se destacou na etapa estadual da Olimpíada. Das nove vagas, cinco foram de alunos das Escolas Municipais Maria Heloísa de Castro, Ernestina Rodrigues, Parque Bolonha, Donatila Santana Lopes e Professor Remígio Fernandez.

Ao todo, participaram 59 escolas da rede municipal e 118 professores realizaram oficinas de leitura e escrita em sala de aula com todos os alunos das turmas participantes. Ao final, passaram para etapa municipal 65 poemas, 38 crônicas e 44 memórias literárias produzidos pelos estudantes das escolas municipais.

Com informações de Agência Belém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar