Regional

Cosanpa reajusta tarifa de água e esgoto em 18%

Foi acertado na manhã desta quarta (13) o novo reajuste em 18% na tarifa de água e esgoto no município de Belém. O valor do novo reajuste foi acertado entre membros do Conselho Superior de Administração da Agência Reguladora de Água e Esgoto de Belém, Sindicato dos Urbanitários do Pará (STIUPA), Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Secção Pará (ABES/PA) e Cosanpa.

A Cosanpa defendia um reajuste de 91,6%, enquanto que o STIUPA um reajuste de 30% e a ABES/PA um aumento de 25%.

“Em abril, a Cosanpa apresentou um estudo para o aumento de tarifa, no entanto, no mesmo estavam ausentes informações importantes para uma análise conclusiva para a definição do índice a ser aprovado, além do mesmo se encontrar em desacordo com a metodologia definida em resolução de 2018 do CSA, para a avaliação e aprovação da tarifa para 2019. Em função disso, nós ficamos ao longo do tempo em discussões e entendimentos, de como apresentar os mesmos, em função da metodologia definida, até que se chegou ao consenso, não sem antes apresentar as considerações destes ao Ministério Público e a Defensoria Pública”, explicou o diretor-presidente da Amae, Antonio Noronha.

“Tão importante quanto a necessidade da aprovação de um índice de reajuste para a tarifa é levar em conta também, que este valor a ser aprovado leve em consideração o aspecto social e a capacidade de pagamento do usuário, de forma a garantir a todos o acesso ao serviço público, principalmente ao de menor renda”, completou Noronha.

Para a faixa de menor renda por exemplo, 10 m³ de consumo de água passa de R$ 24,90 para R$ 29,38. A nova tarifa só poderá ser cobrada depois de 30 dias da data de publicação no Diário Oficial do Município.

REAJUSTES POLÊMICOS

Em setembro deste ano o Pará Web News denunciou o aumento abusivo proposto pela COSANPA, diante da repercussão, o presidente da companhia, foi num jornal local explicar e entrou em conflito com os próprio dados (veja aqui).

Moradores de Belém e região metropolitana convivem com um serviço péssimo ofertado pela companhia estadual.As faltas no fornecimento de água são constantes, a estrutura é antiga e a cobertura deixa desejar. O Pará possui os piores índices de saneamento básico entre as 27 unidades da federação. Preparem os bolsos.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar